Doria decreta estado de calamidade pública em SP a partir de sábado para frear avanço do coronavírus



O governador João Doria (PSDB) declarou, na tarde desta sexta-feira (20), que vai decretar estado de calamidade pública no estado de São Paulo diante da epidemia do novo coronavírus. O decreto será publicado no Diário Oficial deste sábado (21) e vai permitir que o governo tome medidas de emergência. O prefeito Bruno Covas (PSDB) também adotou a mesma medida para o município.

"O reconhecimento do estado de calamidade pública no estado de São Paulo a partir de amanhã, sábado, dia 21 de março, com a publicação no Diário Oficial do estado. O objetivo desta medida não é gerar pânico e nem pavor, mas gerar facilidade de ações do governo e dos 645 municípios do estado de São Paulo”, disse Doria durante coletiva de imprensa no Palácio dos Bandeirantes.

De acordo com Doria, a medida vai permitir dar agilidade às ações do governo na compra de produtos. “O decreto simplifica o processo de compra e contratações de serviços essenciais, tira qualquer burocracia e protege os gestores públicos dessas medidas dando mais agilidade e rapidez ao governo nesse enfrentamento”.

O governo determinou ainda a suspensão de serviços públicos estaduais não essenciais a partir de segunda-feira (23). Para o governador, neste momento, a redução de público provocada por medidas de restrição do comércio e das escolas está sendo o suficiente pelas orientações sanitárias.


Repartições públicas como o Poupatempo, Detran e Junta Comercial do Estado de São Paulo vão fechar as portas e farão atendimento apenas on-line.

Serão fechados ainda equipamentos públicos como zoológicos e todas as unidades de conservação estaduais, como Horto Florestal, Jardim Botânico, Parque Ecológico do Tietê, entre outros do estado, até o dia 30 de abril. Equipamentos esportivos, como o Complexo do Ibirapuera, também devem ter as atividades suspensas.

Doria aproveitou para criticar a atitude do deputado federal Eduardo Bolsonaro que provocou uma crise diplomática entre China e Brasil. “Quero prestar meu gesto de solidariedade à China e ao povo chinês. Não é justo que alguém, quem quer que seja, possa fazer alguma acusação à China ou ao povo chinês", afirmou ele.

O estado tem 286 casos confirmados da doença e 5 óbitos."Dos casos internados em terapia intensiva, casos graves, nós estaremos computando, para efeito de estatísticas, apenas aqueles que tiveram a confirmação diagnóstica do coronavírus. Hoje nós temos 24 pacientes em UTI, confirmados, todos em hospitais privados, nenhum em hospital público", disse José Henrique Germann, secretário da Saúde.

Mortes
A Secretaria Estadual de Saúde confirmou nesta quinta-feira (19) a quinta morte pelo coronavírus em São Paulo. O paciente é um homem de 77 anos, com comorbidade, que residia na capital paulista e estava internado no Hospital Sancta Maggiore, da rede Prevent Senior.

A operadora de saúde informou que em sua rede há 33 pacientes na UTI, sendo que 12 tiveram exames confirmados para a doença Covid-19. Os outros 21 aguardavam o resultado do exame até a última atualização desta reportagem.

Em nota, a Prevent Senior diz ainda que há 90 pacientes "em acomodação apartamento, sendo 16 positivos para Covid-19 e 74 aguardando resultado do exame".

O estado de São Paulo tem 286 casos confirmados do novo coronavírus e 7.669 suspeitos, segundo boletim divulgado pela Secretaria Estadual da Saúde nesta quinta-feira (19). O número de confirmados aumentou 19% em relação ao balanço anterior, divulgado na quarta (18).

Dentre os 286 pacientes, 4 residem em outros estados, mas tiveram a confirmação em São Paulo, e 2 vivem em outro país. A maior parte dos casos (259) está na capital, mas há casos confirmados em outros 16 municípios do estado.

Ao todo, país vai a 7 casos de morte em decorrência do Coronavírus no Brasil. No Rio de Janeiro, duas mortes foram confirmadas nesta quinta-feira (19).

Segundo o Ministério da Saúde, o Brasil tem ao todo 621 casos confirmados de novo coronavírus em todo o território nacional. A maioria dos casos confirmados se concentram justamente em São Paulo (286 confirmados) e Rio de Janeiro (65 casos).


FONTE: G1

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.